quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Fortificando uma residência !

Diversos posts sobre segurança doméstica no blog, várias discussões e ideias nos fóruns, assimilamos tudo, colocamos no mixer e mostramos pro engenheiro. Com o aval do profissional e as autorizações municipais começa a série de vídeos que faremos da fortificação de um cômodo da casa...

Sei lá quantas cotações fizemos para chegar no menor preço dos materiais de construção necessários para a obra, umas coisas compramos aqui, outras ali e fechamos o valor. Mão de obra já foi mais complicado, pois este tipo de obra requer pedreiros de confiança e com boa habilidade, claro que uma bela mentira ajuda.



No meu caso os caras acreditam que as paredes vão suportar um peso incrível de prateleiras flutuantes para vinho e que o preço de uma porta sob encomenda é pouco mais caro que uma porta comum de boa qualidade.

Fato é que a equipe que vai fazer as paredes sequer vai ver a porta, só sabem que é pesada e exige concreto e ferro nos batentes. Tecnicamente, pros caras aquilo vai ser um salão rústico. Quando a equipe de piso, pedra e revestimento chegar (outros pedreiros) não vão saber o que está por dentro das paredes rebocadas, talvez, de fato, julguem que a obra está estranha, com possíveis falhas e degraus inúteis, mas de resto... vai passar batido.

Neste ponto, algumas coisas estarão ocultas, que são as surpresas, um pesado armário vai delimitar a área de visão, acesso e conhecimento dos trabalhadores. Pra estes, será só uma suite, "mal construida" e em telhado para abrigar a megera ( minha sogra).

A completa aparencia de inocência desta sala fortificada é sua melhor arma de defesa. Eu explico.

O invasor pode chutar boa parte das portas da casa com sucesso, exceto duas, as de acesso, cuja unica função é barrar o cara ( ou caras) por tempo suficiente para que percorra-se 10 metros. Uma vez fechada a porta, meu chapa, a porra fica muito séria, já que o abrigo exigirá uma força enorme para ser rompido, será autônomo, suprindo os ocupantes por longos períodos e age como sentinela de perímetro.
Trocando em miúdos e para não complicar, esta sala reforçada literalmente inverte o jogo, pois quem estará em desvantagem é o invasor, não haverá cobertura para progressão, o terceiro andar cobre o unico acesso possível de fuga, os dois lados da rua e todo o perímetro do quintal, inclusive a entrada principal.
Arrombar a sala é opção, lógico... SE ele conseguir atravessar a área aberta, SE ele conseguir transpor a primeira contenção, SE ele veio com marretas, maçaricos oxi acetilenicos ou SE ele for feito de aço SAE 420 cromo vanadium.

Um inocente sobradinho, um puxadinho como tantos, com varal, do lado de fora, uns metros de granito barato e sem forma definida nas paredes. Quando avaliar a força de ataque para arrombar o cômodo, a dedução fará que o agressor empregue uma força muito menor que o necessário, perca tempo, possíveis recursos (munição por exemplo) e o vacilo estratégico custará caro, já que todo o ambiente fornece meios e recursos que garantem a integridade e reação do defensor.

Vagabundo não lê Sun Tzu, o engodo será fatal.

Pensou em reação armada? Eu também preví isso, mas como ultimo recurso, pra que atirar no mala se ele vai estar encurralado? Pois é... deixe que os homens da lei façam seu trabalho, afinal, vamos controlar os portões por dentro.....puts isso era surpresa! Creio ser mais difícil sair do que entrar de fato.



Fontes de referencia:
FÓRUM sobrevivencialismo.com,
sobrevivencialismo.org
Este blog e nossos patrocinadores do ramo de Segurança VIP.

Hahhh sobre os críticos, estou certo que já já eles começarão a falar a respeito de sobrevivencialismo, sobrevivência urbana e outros temas relacionados, só estão sem jeito pra começar. O tema não é meu, ou do Julio Cheda, ou do SHTF school, é pra todos e to muito afim de ver canais melhores que o meu tratando do tema com seriedade. Sim, caras, tem gente que sou fã e é muito melhor que eu em tudo que faz, conteúdo a partir deles seria incrível fonte de conhecimento. Lá no fundo sabem que sobrevivência é sobrevivência e que o sobrevivencialismo abrange todos os ambientes, não só cidade ou mato.

Abraços a todos os 9 leitores, crescemos 26%!

Translate

Publicidade