Manual Guia do Sobrevivente

Manual Guia do Sobrevivente
Sobrevivencialismo e Preparação

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Filmes que todo sobrevivencialista deveria assistir.

Se você se dedica ao sobrevivencialismo e preparação, ou simplesmente é simpático ao tema, o cinema oferece um acervo de filmes incríveis que certamente vai inspira-lo, ou abrir seus olhos para algo que não tinha pensado antes. Nesta postagem mostro os 5 ótimos filmes na opinião deste editor! Vou tentar colocar links para que vcs possam assistir on line!

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

6 armas primitivas que foram modernizadas.


Acho que todos que seguem o guia, em algum momento se depararam com nossa série de postagens que oferecem algumas opções de escolha sobre temas variados, esta não foi diferente, em cada comentário uma dose de paixão, critica e até uma fúria guerreira aflorada pelo tema. Então, resolvi listar algumas destas armas primitivas que o homem continuou aprimorando, com tecnologia ou novas tecnicas de uso.


terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Preparação para desastres.

Estação das chuvas. O clima está cada ano mais melindroso e áreas antes consideradas seguras de alagamentos, inundações e enchentes começam a apresentar problemas. Do nada, aquele simples buraco no asfalto de sua rua começa a crescer. Os vizinhos protestam e culpam o prefeito, que culpa o governador, que culpa a chuva e o aquecimento global. Mas o buraco vira uma erosão, e se une a outros buracos menores e o asfalto cede. Chove demais, não dá pra arrumar aquilo com toda esta agua.
A infiltração atinge a casa da D. Maria, apenas 3 casas da sua, e um trinco enorme aparece bem no meio da sala.

A tempestade desaba com fúria, os trovões e o vento parecem testar as fundações das construções e dos viventes. Você dormia quando veio o estrondo, alto demais? Perto demais?

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

O triste fim do programa Shelterbox no Brasil.

A ideia é maravilhosa. Enviar um BOB (Bug Out Bag ) muito bem estruturado a vitimas de desastres naturais que perderam tudo.

A Shelter box é uma caixa, com diversos equipamentos e funcionalidades, barraca para abrigo, agasalhos, ferramentas, fogão, panelas, livros para crianças e se você pretende estudar sobrevivência pós desastres, precisa conhecer o projeto, veja AQUI em inglês.


quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Básico do sobrevivencialismo e preparação - Pt 1

"Batata, como eu viro um sobrevivencialista?" Esta é uma pergunta tão recorrente que nem sei mais quantas vezes respondi. "Amigo, como inicio na prática?" ou "Comecei agora, o que faço?"
Pra começar esta resposta, vamos elucidar um pouco o que é o sobrevivencialismo, óbvio, sob o meu ponto de vista, já que a porcaria do blog é meu e não sou de ficar colando matérias e teorias de outros, se tenho capacidade suficiente de faze-lo.



CONSCIÊNCIA  SOBREVIVENCIALISTA
É o despertar do sonho, é aquele momento que você percebe o grande alvo pintado na sua testa e resolve tomar atitudes para mudar esta situação. Aquela hora que vc abre os olhos para o mundo real e a realidade bate forte, você percebe que podia estar no lugar das vitimas daquele furacão, ou ser o perseguido político de um governo tirânico. Você se dá conta que é gado para bandidos, ladrões, políticos, golpistas e resolve mudar isso assumindo uma postura de auto preservação, e até de reação ao sistema que tenta colocar de joelhos tudo aquilo que você ama. Consciência sobrevivencialista é a percepção das inúmeras ameaças atuais e a convicção de sobreviver a todas elas.

SOBREVIVENCIALISMO ( SURVIVALISM) :
Sobrevivencialismo é o estudo de meios e formas de sobrevivência em cenários variados.
E é isso mesmo, estudar e praticar tecnicas diversas, e esta mais voltado a desenvolvimento e a desenvoltura pessoal, do que ao armazenamento de provisões. Um sobrevivencialista estuda ameaças e formas de lidar com elas e sair vivo, logo, de acordo com as suas estratégias, é possível que o indivíduo estude tecnicas de sobrevivência na selva, seja um operador rural competente ou um especialista em ambiente urbano, ou agregue valores primários de todos estes cenários, tanto faz, a partir do momento que o agente assumiu que possui uma "Consciência sobrevivencialista" e passou a gastar parte de seu tempo em aprimoramento pessoal para enfrentar as ameaças que julga mais criticas, ele pode se auto nomear um sobrevivencialista. Um sobrevivencialista iniciante é alguém que está começando a ter noção do assunto, e se empenhando em ler, estudar e definir prioridades, um sobrevivencialista avançado já definiu quais são suas diretivas prioritárias e tem trabalhado para se moldar a elas, não obstante, olha para uma pilha de sucata e enxerga um gerador solar, ou vê recursos quase ilimitados em uma floresta.

PREPARADORES ( OU PREPPERS)
Para ser um prepper, ou preparador você não precisa ser um sobrevivencialista pleno. Basta possuir os meios e recursos para se livrar de situações básicas.  Vejam só, uma lanterna e um estoque de pilhas resolvem seu problema com a escuridão, da mesma forma uma arma e muita munição vão ajudar a resolver uma possível ameaça relacionada a invasões e violência. Um prepper iniciante vai ter um kit básico, com agua, comida pra 72 hs, uma lanterna, uma faca e um kit de primeiros socorros, geralmente montado em uma mochila de evacuação (BOB). Já um prepper avançado vai ter muitos estoques, comida para anos, muita agua, munição e quem sabe um bunker para guardar tudo isso e protege-lo em um cenário de crise.
Um prepper avançado é absolutamente bem equipado e sabe usar seu equipamento.

PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE PREPPERS E SOBREVIVENCIALISTAS

Um preparador vai ter uma boa faca, uma arma e muitas balas, e um estoque de comida, um sobrevivencialista vai ter uma faca, mas vai estudar cutelaria e tentar ser auto suficiente neste quesito, vai ter uma arma, mas vai estudar formas de fazer pólvora com itens rudimentares e certamente estudará como plantar a própria comida. Mas a realidade é que, ambas as práticas são tão complementares que se fundem completamente, e as terminologias servem só para efeitos de classificação. São raros os sobrevivencialistas que acreditam poder vencer desafios sem preparação e tão raros quanto são os preparadores que simplesmente ignoram a auto suficiência e desprezam saber como as coisas funcionam. Quando um operador como eu por exemplo, adoto um nome "batata sobrevivencialista", não significa que desprezo a "preparação", mas sim que tenho um foco maior em sobrevivencialismo, e geralmente esta é a regra, veremos muitos "João Preparador" falando sobre cultivo, e muito "Pedro Sobrevivencialista" tratando dos melhores itens para um estoque de emergência. Logo, tal discussão é quase irrelevante e só serve pra delinear o foco de estudo.

HOBBY, ESPORTE, FILOSOFIA DE VIDA...
 Praticar sobrevivencialismo em tempos de paz (quando não se tem compromisso com uma ameaça real) é bastante divertido, não tenho como negar isso, e quase beira um hobby realmente, ou melhor, um aglomerado de hobbys (?), já que o assunto é uma grande colha de retalho de temas e o mesmo sobrevivencialista/prepper pode se divertir tanto na horta doméstica como no clube de tiro, se não fosse a gravidade das situações que a prática visa enfrentar, acho que eu assumiria hobbys como uma boa classificação. Esporte com certeza não é, não há regras ou caminhos retos a seguir, cada sobrevivencialista/prepper é tão diverso um dos outros, e se preocupam com ameaças tão diferentes que tal idéia chega a ser cômica. Filosofia de vida é bem aplicável, já que ingressar na pratica exige algumas pré disposições pessoais, como assumir a consciência de tomar as rédeas da própria sobrevivência em cenários de crise. Não são poucas pessoas que veem nisso uma barreira enorme.

Me lembro do caso de uma mãe, mulher muito religiosa, que ao ver o filho acidentado (um acidente doméstico), ao inves de prestar socorro ao menino, pegou uma biblia e começou a orar fervorosamente a Deus. O garoto sangrou até morrer e a mulher depois, seguiu sua triste existência, se perguntando (e conformando) que aquele caso foi a vontade divina.

Recebo centenas de emails com o mesmo mote: "Não preciso de nada destas coisas, ficar me preparando ou guardando comida, tenho a Biblia e Jesus vai..."  Vai, vai estar presente nas suas próximas palavras: "Me ajuda pelo amor de Deus",  " Uma esmola em nome de Jesus..". Cristo, aquele da bíblia, trabalhava, cortava lenha, acendia fogo, comia, bebia (inclusive uns gorós alcoólicos) e mesmo com todo poder que tinha, com seus milagres, era um curandeiro mundano excepcional. Se até o filho de Deus, na terra, teve de se mexer pra sobreviver, porque tem retardado que acha que pode ficar parado olhando para uma avalanche de eventos e não fazer nada, só orar? Existem muitas barreiras a serem quebradas, esta, é só uma delas.

Enfim, ser um sobrevivencialista/preparador está mais relacionado com a pró atividade do operador, do que com níveis pré definidos por autores diversos que tratam do tema em seus sites e blogs, não há um melhor ou pior, tem muita gente que chegou a sua plena concepção de sobrevivência, portando apenas uma faca de caça e um halls preto, logo, este sobrevivencialista chegou onde queria e para ele e outros, é avançado no que faz, como saberemos?

Muito obrigado a todos os leitores do blog, mais ainda, obrigado a todos que comentam e participam aqui, deixando seu ponto de vista, futuramente, muitos outros preparadores vão ter acesso a esta informação, mas, a pergunta que não cala é, vc é um sobrevivencialista ou preparador, qual seu foco?

Abraços.

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Root Cellar não é Bunker.

Você deve estar se perguntando que diabos é um Root Cellar, ok, você pode não associar o nome a coisa, mas garanto que você já viu várias vezes em filmes americanos e nunca imaginou se tratar de uma "geladeira".

Concordo que era bem mais comum sua aparição em filmes antigos, nos atuais geralmente a tradução deturpa, ou simplifica, e chama de porão. O mais curioso e ver alguns estudantes de sobrevivencialismo usando as imagens para ilustrar bunkers subterrâneos.

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Preparados para tudo com a glória do Senhor ! !

O Brasil é atrasado em relação a outros países, fato, se a comparação for com os americanos então a coisa se agrava.
Não estou falando só em tecnologia, mas em pensamento, consciência, mentalidade.

Isso nem sempre é ruim, acredite, tem coisa que este autor prefere ver só lá na terra do Obama, como os malucos que entram em escolas atirando ( isso já teve aqui), furacões, tornados, super vulcões, preparadores milicianos e organizações religiosas de sobrevivência, ops... estas duas ultimas já estão a caminho de terras brasileiras também e meus amigos "preparem-se" elas vem com força.

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Permacultura Urbana - Já colhendo resultados.

Como cultivar frutas e verduras em casa pode trazer benefícios para sua vida? A resposta é bem simples: Permacultura urbana. Além dos benefícios óbvios de criar e plantar, é um grande passo para a autossuficiência, mas se esta não for sua meta, acredite, você vai economizar uma boa grana no mercado
.
Quando eu nomeio minha prática como "permacultura urbana" na verdade só estou aplicando um enfeite bonito, mas não faço nada além de trazer tecnicas usadas no campo, adaptadas em escala e materiais para a cidade, e tenho obtido ótimos resultados, principalmente financeiros.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Alterações e modificações em faca MORA Nº 1 clássica.

Batata seu noob!
Pois é, talvez seja. Ganhei minha mora clássica do amigo Giuliano Toniolo. Não houve tempo para "namorar" a faca, eu a recebi já com meio campo de acampamento montado, e foram 7 dias e 6 noites de uso quase exclusivo.

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Eles desligaram tudo, e agora?

Foi só uma marolinha.
No primeiro mês, nosso principal cliente nos avisou que atrasaria o pagamento da nota, mas que arcaria com multas, juros etc.
No segundo mês, outros dois clientes fizeram a mesma notificação e um outro cancelou o contrato.
No terceiro mês, 7 dos meus oito clientes cancelaram o contrato, todos dispostos a pagar juros e multas.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Gastronomia sobrevivencialista- Feijoada

Esqueça as famosas latas e pratos prontos vendidos no mercado, embora cheios de vantagens, nunca irão se comparar ao bom e velho feijão gordo cozido com miúdos em termos de paladar. Nesta postagem vamos esmiuçar a história e os ingredientes deste tradicional prato brasileiro e ver se podemos aprender algumas coisas legais com ele.

Vou começar de cara com uma receita básica de feijoada, assim vemos todos os ingredientes e podemos ter uma visão mais ampla:

domingo, 13 de outubro de 2013

22 motivos para você ter faixas elasticas em seu kit de sobrevivência.


As faixas elásticas para exercícios podem ser itens realmente funcionais em um momento de necessidade. Nesta postagem vou listar muitos bons motivos para você investir neste item. O elástico mede cerca de 1,5 m, pesa cerca de 80 gramas e pode ser dobrado, comprimido e prensado para ocupar menos espaço. Suporta 180 kg/força ou 400 libras ( Carci band extra forte) antes de se romper, porém é muito vulnerável a cortes e calor direto.
Segue abaixo a lista com 22 utilizações para esta faixa cheia de funções pra quem gosta de uma boa gambiarra:

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Vinho - Porque vou montar uma adega em casa.

Tá certo, eu adoro vinho.
 
E não é  pelo álcool, e sim pelo gosto que esta milenar bebida tem, e seus inúmeros benefícios para preparadores.

1º - Não tem prazo de validade se armazenado corretamente,
2º- É uma baita moeda de troca em cenários de crise;
3º- Vai tornar receitas ruins mais fáceis de descer, sabe -se lá qual será o cardápio do dia.
4º- O vinho tem inúmeras faculdades já comprovadas que fazem um bem danado para a saúde se consumido moderadamente. Este ponto é bem interessante, em um cenário onde a alimentação pode não ser tão bem balanceada, um aditivo extra de coisas saudáveis sempre ajuda.
5º- Vai levantar MUITO o moral nas horas de aperto.

O consumo de álcool em cenários de sobrevivência é contraindicado por 11 em cada 10 especialistas, um cidadão retido em um bunker por algum motivo de fato está numa situação de sobrevivência, ou melhor, de subsistência, e você leitor deve estar se perguntando: Então porque este estúpido está colocando isso no blog?

Porque este autor acredita no bom senso no consumo de bebidas alcoólicas. Se você ficou levemente tonto passou do limite. Você pode tomar uma dose e dirigir, todos os estudos comprovam isso, o que não pode é encher a caveira e fazer merda, esta postagem segue exatamente esta linha.

Minha avó morreu com 96 anos tomando um pequeno cálice de vinho tinto antes de cada refeição, antes, nunca durante, na casa dela sempre haviam garrafões de vinho cheio e pra nona tomar duas taças devia ser Natal, Páscoa ou outra data "Santa". E também não havia muita restrição não, criança que berrava tinha a chupeta mergulhada em vinho doce, nós moleques tomávamos um tipo de sangria feita de vinho, agua, açúcar e alguma fruta da época em pedacinhos, eram outros tempos e hoje os sucos naturais de uva  e a morte das velhas italianas encerraram a prática. Não vai você achar que estou dizendo pra colocar vinho na mamadeira dos bebês, pra mim bebida é uma arma e só devia ser usada por maiores de 25 com autorização da policia federal.

Pois bem, chegamos a um ponto dramático da minha opinião, se tem gente que indica uma boa e farta golada de urina, que mal pode fazer uma taça de 40 ml de vinho, geralmente com apenas 6% de teor alcoólico?

Um copo de vinho por dia, além de sua comprovada atuação em benefícios cardíacos e no rejuvenescimento, ainda oferece os seguintes benefícios:
  • Aumenta a esperança de vida
  • Previne e ajuda a controlar a hipertensão
  • Diminui o risco de pedra nos rins
  • Previne a arteriosclerose
  • Ajuda a desfazer gorduras
  • Inibe a multiplicação do vírus que provoca o herpes
  • Melhora a digestão e o sono
  • Regula o humor
  • Aumenta o QI
Finalizando, e pra quem ainda não sabe, este autor que vos fala é um entusiasmado estudante de culinária antiga, mais precisamente a medieval, e o habito de substituir bebidas por agua nas refeições vem bem antes da Idade das trevas, o cidadão só tomava agua em casa, ou se não tivesse outra opção, era preferível uma caneca de cerveja ruim , quente e amarga, ou  um caneco de vinho avinagrado do que morrer de disenteria, tifo ou leptospirose. Sem saber, o camponês medieval que passava na taverna para um trago depois da lida, estava mandando pra dentro um anti biótico natural bem leve, fruto da fermentação "sem cura", ou tempo de descanso, das bebidas da época.

No mais, o vinho atravessou a história da humanidade, fora regionalismos, e é uma bebida globalizada, acessível e cheia de poesia, paladar e benefícios.
E como sempre, deixo a dica, armazene itens alimentares que todos gostem, se você ou ninguém que da sua casa bebe vinho, não vale a pena o esforço nesta preparação e antes que perguntem, em minha casa somos fãs de frisantes, pró secos e tintos poderosos e encorpados e sempre aceito este tipo de presente de bom grado, não se acanhem!


Bom, este é meu ponto de vista, deixe sua opinião aqui nos comentários, você acha que vale a pena manter um pequeno estoque de bebidas nas preparações?

Abraços.

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Dá pra viver com uma "RAÇÃO ESSENCIAL MÍNIMA" ou cesta básica?

Será mesmo que dá pra viver com uma cesta básica? Segundo o DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) dá sim, os caras se deram até ao capricho de montar os gêneros alimentícios diferenciados por região do país, vejam só:


Estrutura das Cestas Básicas por Região
Os produtos da Cesta Básica e suas respectivas quantidades mensais são diferentes por regiões e foram definidos pelo Decreto 399 de 1938, que continua em vigor. A sua estrutura encontra-se na tabela abaixo:
Alimentos
                                       Região 1        Região 2          Região 3
Carne kg                     6,0                 4,5               6,6
Leite l                         7,5                 6,0              7,5
Feijão kg                     4,5                 4,5              4,5
Arroz kg                     3,0                 3,6              3,0
Farinha kg                  1,5                  3,0              1,5
Batata kg                   6,0                                     6,0
Tomate kg                  9,0                  12,0            9,0
Pão Francês kg           6,0                  6,0             6,0
Café em Pó kg          0,600              0,300           0,600
Banana unid.               90                   90               90
Açúcar kg                  3,0                  3,0              3,0
Óleo ml                      750                 750             900
Manteiga kg              0,750              0,750             0,750
Região 1
SP, MG, ES, RJ, GO e DF,
Região 2
PE, BA, CE, RN, AL, SE, AM, PA, PI, TO, AC, PB, RO, AM, RR e MA,
Região 3
PR, SC, RS, MT e MS. 
Pois bem, se você leu a lista acima e se assustou parabéns, não foi o único a perceber que 99,99% das cestas básicas não correspondem ao indicado pelo órgão competente para que pessoas sobrevivam dela.

 Como bom cheff executivo vou lhes dar o que seria a refeição diária que esta cesta compõe: O desjejum seria de pão com manteiga e café com leite, todos os 3 membros da família comeriam uma banana, um tomate e uma batata por dia além de um bom prato de arroz com feijão engrossado com farinha e um bife ou pedaço de carne de mais ou menos 50 g ( um hambúrguer comum)


Sabe, eu adoraria dar-lhes parâmetros de comparação a fim de avaliar suas preparações, mas até nisso o brasileiro é cagado.
Eles vão enfiar na cesta entregue ao trabalhador uma lata de sardinhas e um pacote de macarrão, talvez 2 litros de óleo e menos feijão porque é caro.


O meio quilo de leite em pó faz só 3,3 L de leite com um, mas haverá uma tetra pack de leite condensado. Açúcar é de 5 Kg e fruta se vier vai ser em lata.
Manteiga ou margarina? Esqueça, você não vai precisar porque não tem pão nas cestas de mercado, só bolachas agua e sal.
Sobrevivencialistas, como em tudo no nosso país, a regra é furada e cada um vai adaptar a CESTA BÁSICA de acordo com o que acham ser conveniente.


RAÇÃO ESSENCIAL MÍNIMA.
O nome original é bem sinistro, concordo, mas é, ou deveria ser um reflexo do que se propõe, manter 3 humanos vivos por um mês. Além destes itens alimentares, por regra seguem 6 rolos de papel higiênico, uma garrafa de agua sanitária, 3 sabonetes e um tanto de sabão para lavar roupas.

Vamos olhar com frieza o trabalho dos especialistas, eu realmente acredito que uma pessoa viva relativamente bem com esta ração diária, embora também acho que o sujeito habituado a variar o cardápio vai ter um colapso psicológico de tanto tomate, banana e batata.
A grande sacada seria umas 300g de sal pelo menos, sem tempero vai ser osso DIEESE!!!


Por isso insisto sempre que preparações devem ser montadas por cardápio diário ou refeições e não somente quantidades como alguns apregoam, óbvio que volumes podem ser trabalhados até para facilitar a vida do vivente que tem de comprar em volume pra baratear, mas a base de calculo deve ser sempre a de refeições diárias ou unitárias.
 Eu realmente acredito que o DIEESE tenha consultado muitos especialistas, nutrólogos e estudado o dia a dia do brasileiro para elaborar sua lista, a pergunta que deixo aos amigos sobrevivencialistas é, você acha mesmo que o cara do mercadinho que montou uma cesta básica no olho, visando ganhar um troco na venda feita no volume fez algum estudo sobre isso?

E como são as cestas básicas na sua região, já observou isso? Arriscaria viver um mês só com ela?


Abraços.

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Faça sua porta blindada - projeto caseiro.

Na verdade nem é um projeto assim tão exclusivo.
Assim como as facas o que podia ser feito já foi feito e por ter uma aplicação militar óbvia, já foi muito estudado.
Mas ainda há muita obscuridade na hora de tratar o tema, sem falar no preconceito que leva o preparador a ser tratado como um maluco paranoico, mas antes sermos malucos que vitimas ou estatística.

Esta é a postagem de uma adaptação básica de um projeto de porta de segurança muito utilizado na segunda guerra mundial e em países que se preocupam em manter seus cidadãos vivos.

Quando pensar em montar uma porta você deve ter em mente o uso e qual função ela tem de cumprir.
O local onde a porta vai estar também é muito importante. Veja esta imagem:
Trata-se de um bunker militar, feito pra guerra e para suportar castigo, mas vamos nos ater ás portas, são duas e estão numa posição estratégica, o corredor em "L" vai tornar a vida de um invasor um inferno além de proteger a porta 2 (P2) contra impactos diretos, não dá pra usar um aríete ou marreta como se deve num espaço tão pequeno, da mesma forma, não dá pra pegar embalo com uma corrida. Reparem também que se uma munição vencer a porta 1, ela vai parar diretamente em uma parede reta, idem na porta 2, os ocupantes ainda tem uma segunda parede interna para servir de abrigo.
Seguindo esta linha, vamos ver a proxima imagem:
Esta imagem deixa bem claras suas intenções, é um ninho de metralhadora, reparem que há um duto para que granadas sejam despejadas em frente a porta 1, logo podemos presumir que a porta 1 suporta fácil este tipo de assédio, porém, ainda assim há a entrada em L ainda protegendo a porta 2, creio que fica bem claro a função de cada porta e como é importante trabalhar a localização de sua entrada de segurança, por mais piada que pareça, quanto mais você proteger sua porta, mais brutal ela se tornará.

Este é o pior cenário possível para um invasor, ele obrigatoriamente será guiado, sem cobertura alguma, totalmente a mercê dos defensores. Uma olhadinha na porta pode custar caro demais, quanto mais derruba-la.

Pior ainda seria ter que derrubar esta porta blindada:

Além da óbvia dificuldade mecânica, descobrir onde é a entrada torna-se um jogo perigoso para o invasor e uma arma sem igual para o defensor. Não dá pra arrombar uma porta que "não existe" não é mesmo?

Esta é uma porta anti arrombamento clássica:
É disso que você precisa para manter qualquer um fora da área que quer proteger, uma boa fechadura e dois cadeados tornam esta estrutura infernal, mas ainda faltou lidar com outros problemas, como privacidade, proteção balística etc... e é neste ponto que instalamos as chapas de aço:
Reparem bem na foto acima, são duas portas no mesmo batente. Exatamente este modelo, com poucas modificações na forma de fechar é o indicado pelos especialistas Israelenses para ser instalados em abrigos em regiões onde os colonos podem sofrer risco de bombardeamento por foguetes de artilharia. Vejam as fotos:


Para os curiosos, inclusive eu, a chapa mínima indicada pelos especialistas de lá e de aço 1020 com 2 mm de espessura.






Acho que isso dá um bom parâmetro para meus leitores sobre alguns aspectos e mostra onde fui buscar informações que complementam o vídeo.
Embora eu não tenha a pretensão de explodir um artefato na minha porta só pra testar a resistência, tenho plena confiança na estrutura pesada da qual foi feita, cabe agora aqueles que querem literalmente dificultar o trabalho dos agressores impor mais medidas de proteção no projeto, como camadas de chapa extra, trancas mecânicas, escoras, vedação, o bom disso tudo é que o custo é de um portão, muito mais barato que portas industrializadas e pode ser feito em qualquer serralheiro.

Esta postagem foi complementar a este vídeo:

E espero realmente muitas opiniões e ideias nos comentários do BLOG, para que futuros pesquisadores do tema tenham material para avaliar e desenvolver seu projeto.


Abraços!








sábado, 28 de setembro de 2013

Fuga para o mato em cenário de crise.

Quem sou eu para frustrar os planos de alguém, ainda mais quando o assunto é sobreviver.
Porém, esta pode ser uma escolha ruim se não houver conhecimento ou preparo prévio de quem planeja, e, em muitos casos, significa uma morte mais provável do que se ficar em centros urbanos.

A lista de ameaças que estamos expostos é imensa, vai de violência urbana pura e simples a vírus e bactérias mortais, acidentes naturais ou provocados pelo homem, guerra contra um inimigo estrangeiro ou o que é pior, um conflito civil. Crises financeiras globais, falha na infra estrutura elétrica, crises políticas onde o estado atua contra seus rivais ideológicos ou até um evento cósmico como um impacto de corpo celeste ou uma explosão solar.

Acho que podemos traçar algumas linhas de pensamento lógico e até compor um índice de probabilidades para termos alguma ideia de qual ameaça é mais "possível" ou "provável", mas esta postagem não será hoje. Analises como o efeito colateral destes eventos são ainda mais complexas, por exemplo, mesmo que não sejamos bombardeados diretamente por um ataque nuclear e seus efeitos fiquem restritos a países do norte, como EUA ou Europa, teremos de lidar com uma invasão em larga escala de nosso território, poucos sabem, mas faz parte do trabalho dos militares manter vários estratagemas de ataque preparados, inclusive contra aliados, pois nunca se sabe quando uma merda vai ocorrer.

A comprovação disso é o fato de, em uma avaliação informal (?), especialistas em estratégia militar e membros de um famoso fórum, garantirem que temos a QUINTA melhor tropa de selva do mundo apta a atuar na Amazônia. Parece piada? Perdemos para a França, Estados Unidos, Inglaterra e pasmem, Rússia. Nossa grande vantagem sempre foi o conhecimento do ambiente, e nossos grandes parceiros trataram de correr atrás, Bases americanas na Colômbia, bases nas Guianas e centros de treinamento altamente complexos mantidos pelas SAS britânica e unidades de Elite Russa ( Spetznas) na Venezuela.
 Alguns dos critérios de avaliação dos especialistas, só por curiosidade:
Acesso a Informação local - Todas as 5 forças atuantes tem acesso a nativos, ao ambiente e a seus recursos naturais. ( tem índio nos países vizinhos sabiam?)

Equipamento e treinamento - Entre os 5 melhor avaliados, 4 possuem o que há de melhor em tecnologia de combate moderno, cada um de seus soldados de elite é equipado com itens de ultima geração, de coletes balísticos a botas, inclusive houve uma citação interessante, os russos estão desenvolvendo uma munição específica para maximizar desempenho na floresta amazônica. Claro o país com equipamento obsoleto é o Brasil. Acredite, hoje qualquer praticante de bushcraft ou camping selvagem possui equipamento melhor que o de nossos soldados cujo fardamento é feito na China entre outras "versões" piores de itens primários, como mochilas, tralha de hidratação etc, com a exceção óbvia do equipamento de combate, tem civil brasileiro mais bem paramentado e com mais recursos.

Pesquisa - Em poucos anos, países estrangeiros investiram milhares de milhões em pesquisa na nossa floresta, inclusive em nosso território através de suas ONGs. Os resultados desta exploração fica com eles, é claro, logo, eles conhecem e documentaram muito mais recursos que nós, tanto fármacos quanto alimentares, também documentaram o ciclo de vida das florestas, dos animais e das plantas e chegaram inclusive a criar uma " mini Amazônia" em seus países. É simples, um soldado americano por exemplo, vai receber o mesmo treinamento que o nosso com nativos e uma dose extra de conhecimentos oriundos da pesquisa de seu país, logo, num aperto sério, vai saber mais que um soldado brasileiro.

Experiência - Qualquer atirador num fim de semana da mais tiro que um soldado brasileiro durante toda a sua carreira. Nossas unidades de elite gastam 1,6% da munição gasta em treinamento das unidades de elite gringas. Uma matéria recente mostra que temos munição para meia hora de guerra. TODAS as unidades que foram avaliadas tem experiência em combate ou conflitos. Já nós.. nem avião de traficante podemos derrubar.

Você deve estar se perguntando onde quero chegar e porque esta sucata de exército que temos ainda está numa posição relativamente alta.
O Exercito Brasileiro preparou as nossas florestas para guerra.

Exatamente, estes soldados, muito bem treinados, mesmo com o sucateamento e descaso do governo brasileiro, por conta da estratégia de defesa adotada, são absurdamente letais na floresta.
Se engana quem acha que vão enfrentar diretamente o inimigo. De bobos eles não tem nada, assumiram logo a opção mais barata e no caso de um conflito por lá se tornarão guerrilheiros, melhor dizendo, usarão técnicas de combate assimétrico. Para isso, em diversos pontos da floresta esconderam "BASES" com suprimentos. Você encontrará armas, abrigos, combustíveis, comida, suprimentos médicos, ferramentas, peças de reposição e manutenção e muito mais enterrados sob o manto da floresta. Estes suprimentos podem manter os soldados por muito tempo até que as linhas de suprimento sejam restabelecidas.
Trocando em miúdos, morre muita gente antes que se possa dizer que a floresta tem um novo dono, e isso hoje em dia é no mínimo condenável pela opinião pública, pois todos aprenderam com o Vietnan.

Lá nas forças armadas, bem ou mal estão alocados os maiores especialistas e estudiosos que temos em termo de estratégia e se eles chegaram a conclusão que uma preparação de terreno é necessária para manter outros tantos especialistas em mato vivos e operando por muito tempo, porque você acredita que pode existir só com uma simples mochila na bagagem?

Você não conseguirá transportar todas as ferramentas que irá precisar, nem todos os suprimentos e rações de emergência, e quanto aos itens de medicina ou combustíveis? Este ponto de vista atesta que a mochila de fuga, ou um veículo preparado serve somente para ir e vir de um ponto a outro ou transpor uns poucos dias de privação, e que a grande jogada é ainda planejar bem, escolher um ou mais pontos para servir de base e prepará-lo da melhor maneira.

Segue abaixo um pequeno bando de ideias do que você pode ir deixando  na sua base caso tenha como estratégia fugir para o mato:

Itens de saúde, como bandagens, curativos, talas e faixas, compostos para fazer soro fisiológico, ferver e destilar agua, tesouras, pinças, grampos e agulhas. Enfim, tudo que não é perecível e que só depende de aspectos físicos de armazenamento.

Alimentação, Você pode carregar um kit básico para armadilhas e pesca na sua mochila, mas em sua base está um bom estoque de anzóis, linhas, arames e gatilhos para várias armadilhas. é aqui que você deixa o mel, vinho, aguardente, latas de liofilizado, leite em pó, café, sal, farinha temperada embalada a vácuo e outra infinidade de comidas de longa duração que comporão a sua ração de emergência.

Árvores certas nos lugares certos são um recurso incrível, você pode conseguir frutas, material específico para abrigos, entalhes e construção. Um rápido estudo regional ditará qual animal será atraído a ela, formando assim uma ceva natural e um local óbvio para caça. Além das mudas de árvores frutíferas você pode inserir na floresta ervas repelentes, medicinais e até árvores específicas para corte, já que grandes troncos rendem bons abrigos. O melhor disso é, tudo é naturalmente camuflado e tem sua produção permanente.

Agua, sabe aquela sua panela velha, ou caldeirão usado, ou quem sabe aquele plástico enorme que veio embalando algum produto? Pois é, o lugar deles é escondido no seu refúgio, na hora certa se transformam num incrivel sistema de captação e purificação de agua. Materiais para um filtro também podem ficar guardados esperando a hora de serem usados. Aquela garrafa pet vai encontrar um bom uso e o cloro em pó também.

Ferramentas, nas idas e vindas para seu refúgio, poupe-se do peso dos cabos, você poderá armazenar cabeças de machado, enxadas, enxadões, picaretas e até ir aos poucos levando pinças e martelos para uma forja improvisada, um bom saco de pregos lambuzados em óleo duram muito, bem como arames galvanizados.

Existe um bom motivo para as famílias que vivem isoladas estarem sempre na beira da água e responderem sem pestanejar que o tesouro mais importante que possuem serem os anzóis. Uma nascente bem trabalhada pode formar um laguinho secreto e ser abastecida com pequenos peixes capturados na região, mas um rio sempre será uma ótima rota de fuga.

Sim, existem casos onde pessoas vivem com quase nada, em situação de extrema pobreza por anos isolados em locais inóspitos, mas isso não tem de ser assim. Sobrevivencialistas e preparadores devem partir de um local preparado para outro local preparado, pelo menos estudado com todos seus recursos e meios mapeados. A mesma métrica que faz com que nós tenhamos nossas preparações e reservas hoje (em tempos de paz) deve ser seguida num cenário de crise.

É difícil imaginar toda uma família tipicamente urbana fazendo uma transição tão radical, o que me leva a pensar em idosos, crianças, mulheres grávidas e eventuais feridos, mas experimentar algo aproximado desta estratégia é relativamente fácil para o sobrevivencialista, basta juntar seu grupo e partir para um camping convencional, na pior das hipóteses será uma experiência diferenciada.

Caro leitor, geralmente nos comentários das minhas postagens há muita informação valiosa, espero realmente que continue assim, pois este é um assunto que merece ser lapidado e discutido, já que a aplicação e prática do sobrevivencialismo com ênfase ao ar livre é tão fascinante.


Abraços.

Translate