quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Preparados para tudo com a glória do Senhor ! !

O Brasil é atrasado em relação a outros países, fato, se a comparação for com os americanos então a coisa se agrava.
Não estou falando só em tecnologia, mas em pensamento, consciência, mentalidade.

Isso nem sempre é ruim, acredite, tem coisa que este autor prefere ver só lá na terra do Obama, como os malucos que entram em escolas atirando ( isso já teve aqui), furacões, tornados, super vulcões, preparadores milicianos e organizações religiosas de sobrevivência, ops... estas duas ultimas já estão a caminho de terras brasileiras também e meus amigos "preparem-se" elas vem com força.

Não há grandes mistérios nisso, muito menos surpresa.

Óbvio que qualquer um que leve a sério o conceito de estratégia de guerra, em algum momento terá de pensar em sua infraestrutura de logística. Isso não é diferente para aqueles que acreditam que a atuação de uma milícia organizada é o melhor caminho de sobrevivência em um cenário de crise, neste ponto existe a convergência com a pratica de sobrevivencialismo e preparação.

Vamos pensar no sobrevivencialismo como um martelo, que pode ser usado para construir ou para destruir, uma ferramenta totalmente "Neutra" que obedece a vontade do operador.

Em um cenário surreal, onde um sobrevivencialista enfrenta armado forças publicas, mesmo que ele vença uma equipe treinada, terá de lidar com uma infinidade de reforços, pode causar um grande estrago, é verdade, mas no fim sucumbirá perante uma estrutura muito maior. O bastidor deste conflito exigiria muita munição, bases seguras para dormir, se alimentar e curar os ferimentos, comunicações, agua, reposição e consertos de equipamentos, pra simplificar e não alongar, um nucleo ou base sobrevivencialista pode ser usado como segmento estratégico de infraestrutura e logística para um grupo de combatentes, então, não ia demorar para grupos civis organizados amplificarem suas metas, e para outros grupos, mais perigosos, também começarem a olhar, fascinados, os meios e tecnicas sobrevivencialistas.

Vamos imaginar um cidadão armado e com treinamento básico para proteger sua família, só isso basta para deixar alguns governos de orelhas em pé, agora imaginem um civil, armado até os dentes, muito bem treinado, bem equipado e municiado, capaz de sobreviver por longos períodos sem nenhuma dependência governamental ou do "sistema", e ainda preparado para sumir do mapa em um cenário de crise.
Note que, em momento nenhum foi dito que este civil, embora perigoso de fato, seja um problema social, um desajustado ou criminoso, ele é um preparador, e governo e as instituições não teriam problemas em lidar com alguns deles, acontece que já não são mais alguns, são milhares e não são só civis e cidadãos comuns, entre as fileiras estão políticos, militares e formadores de opinião.

Dentre os formadores de opinião mais poderosos estão as instituições religiosas.
Isso aí meu amigo, você não leu errado, religiões e seitas, estas as maiores responsáveis por agregar todos estes preparadores e sobrevivencialistas, principalmente os que não estão no "lado negro da força".
Cabe ressaltar que o conceito de juntar um grupo para proteção mútua, não é um privilégio do estado, um grupo de vizinhos pode se unir, um grupo de amigos e até membros de uma determinada congregação religiosa, isso não é uma milícia, grupo terrorista ou algo fora da lei.

Não vou entrar em méritos de discussão religiosa, se vai ou não acontecer um apocalipse ou armagedom bíblico, se os selos já foram quebrados e os anjos tocaram as trombetas, o fato é que tem gente preparada pra receber os quatro cavaleiros do apocalipse á bala e mandá-los de volta pro lugar de onde vieram.
Algumas religiões, que até bem pouco tempo pregavam a caridade, hoje falam de preparação, e não pense só nos Mormons, falo de grandes instituições protestantes e até comunidades católicas, que atuando como  cooperativas é capaz de fazer o governo adotar medidas especiais de compra para suas agencias, competindo por lotes de equipamentos, alimentos e munições. Os membros das congregações se unem e fazem compras coletivas, o volume barateia o custo.

Lá no inicio da postagem eu disse que o brasileiro é atrasado em tudo, e fora um pseudo pastor picareta do Youtube, eu ainda não tinha visto uma grande igreja, destas de âmbito nacional, fazendo uma relação direta ao termo sobrevivencialismo/preparação, não vi até bem pouco tempo atrás.
O fato é que de uns poucos anos pra cá o absurdo crescimento do sobrevivencialismo americano foi uma soma de grandes fatores grandiosos, atentados terroristas, guerras e religião.
Já no Brasil, se querem ter uma dimensão exata do poder das igrejas e religiões, basta saber que nem nossos notórios ladrões instituídos por voto no governo, tem coragem de tributar estas instituições, e para o PT resistir a uma outra fonte de grana fácil, significa que o vespeiro é grande.

O brasileiro tem um profundo desrespeito religioso e é simplesmente incapaz de aceitar a fé alheia, isso beira a intolerância. e isso já começou a ocorrer em fóruns e listas de discussão sobrevivencialistas, gerando rusgas sérias entre participantes que tentaram impor pontos de vista religiosos em assuntos totalmente diversos, por exemplo, como acender uma fogueira.
Seguindo a tendência americana, teremos cada vez mais guerreiros e milicos sobrevivencialistas e também muitos religiosos, eu gostaria muito de saber dos amigos se acreditam realmente que conseguiremos manter um nível amistoso de discussão, ou se a tendência é mesmo segmentar para evitar conflitos?

No mais, o Guia sempre foi e sempre será neutro no quesito religião, porque este autor acredita que Odin é velho e esperto suficiente para se defender sozinho, e não precisa ficar debatendo "verdades" com outros mortais.
Espero que tenham gostado e aguardo a participação e as opiniões de vocês todos.


Translate

Publicidade