sábado, 15 de fevereiro de 2014

Escassez de água - Você está preparado?


Será que estamos preparados para uma grande crise de agua? "Olha, eu andei pensando e acho estes preppers e sobrevivencialistas um bando de paranoicos, quais as chances de ficarmos sem agua?". Curioso ouvir esta frase lendo em jornais que ventilador e agua em garrafa viraram artigo de luxo em SP. De fato não escasso, mas o preço triplicou em alguns lugares. Em um telejornal a matéria mostrava o aumento na procura por filtros domésticos, gente querendo economizar levando agua de casa, a matéria termina com a imagem de uma pequena fila de funcionários enchendo suas garrafinhas pessoais no "bebedouro" da empresa. Mas como se preparar realmente para uma crise generalizada de agua?
Dentro de meu planejamento para agua eu criei 5 opções de abastecimento, a primeira e óbvia é o sistema publico, do qual já estamos sob racionamento na distribuição, graças a falta de chuvas neste janeiro seco.


Conto com 4 caixas dágua, 2 de mil litros, e duas de 500 litros que recebem "agua da rua", ainda não tenho como reabastecer estas caixas que ficam no topo, na parte mais alta da casa. Mas enfim, uma boa reserva, mas de forma alguma segura, pode no máximo suportar um período longo se racionado. A segunda opção é a coleta de agua de chuva, muito eficiente, se chover. Agua para banheiro, limpeza e para regar as plantas, em uma emergência pode ser purificada.


 Disponho de um tonel de coleta de 200 litros e uma grande piscina que pode ser facilmente montada, com capacidade de 4000 litros. O tonel filtra a agua de impurezas, com um filtro natural de tela, tecido e material fibroso. Esta é a agua da horta, galinhas e animais, uma baita economia... se chover. No momento tudo está seco, já que não chove a semanas e eu não me dispus a manter a piscina montada. A terceira opção é de coleta em nascente/lago a 100 m de casa, agua impura, suja e que demandaria um grande trabalho de coleta e purificação, caso fosse necessária em escala, porém segura de agentes químicos contaminantes. A quarta opção é um poço. Agua 100% segura, mas distante cerca de 1 km, já entrando na estratégia de BOL, o poço atinge um grande lençol subterrâneo e em muitos anos, mesmo nas épocas de estiagem pós Julho, se mantém muito bem abastecido.e íntegro. A quinta opção é fugir para as montanhas, para além do BOL, e contar com a sorte nas nascentes que conheço pelas matas.


Mas vejam só, todas as 5 formas que eu planejei, a mais segura é o poço, já que a chuva se mostrou bem ingrata, aliás, veio, detonou tudo que podia em muitas cidades e cessou a ponto de condenar represas e até hidrelétricas. Esta baixa no volume de chuvas também trás outros efeitos. Me deparei com duas nascentes totalmente assoreadas, pura lama onde antes corria um filete de agua pura, o gado que entra pelas matas acaba por fazer um esforço maior para beber, resultando no pisoteamento da nascente que vira uma poça de lama. Você pode, em uma situação extrema, colocar tudo numa meia e tirar dali um tanto de agua pra se manter vivo, mas é totalmente inviável imaginar a sobrevivência a longo prazo seguindo esta linha.


Reparem como é sensível toda a estrutura da agua, isso porque falamos de uma cidade do interior de SP, com lagos e açudes que bem ou mal garantem que o indivíduo consiga alguma hidratação mínima, mas como lidar com isso em grandes cidades onde bicas e nascentes não existem mais, rios são poluídos com bem mais que bactérias que causam diarreia. Uma grande piscina é sempre uma boa pedida, infelizmente, não é opção para todos e será um alvo prioritário no caso de uma grave crise de agua.


Outra opção é armazenar, e a melhor forma são as cisternas e caixas dágua domésticas, no dia a dia, a agua fica em fluxo, mas caso haja um corte formam uma boa reserva de subsistência, e por incrível que pareça, não são caras ou difíceis de montar, podendo ser  ligadas em série. Em casa, uma pequena bomba de 2000 L/h, de 12 volts, pode operar milagres, consome pouca energia e consegue empurrar a agua para reabastecer uma estrutura, infelizmente não tive sorte e a minha se quebrou, mas logo consigo repor.
Galões são opção, mas bem arriscada, a agua filtrada recebe uma dose dobrada de cloro/agua sanitária e o galão fica lacrado por até 6 meses, devendo a agua ser novamente purificada ao se abrir. O risco é superdosagem de cloro, ou simplesmente a criação de um micro organismo, ou bolor interno. (motivo pelo qual a agua de mercado vem em garrafas transparentes) e parecem ser mais "leves" a agua foi fervida, filtrada, purificada e armazenada na garrafa como uma conserva, uns dizem que é quase morta, sendo possível beber o dobro do volume de agua da torneira.


Mas chegamos a um belo impasse, todos esperam que os reservatórios de agua se encham no verão, pois sabem que no resto do ano as chuvas minguam, poucos percebem que é lá pra depois do meio do ano que se fala em racionamento, se martela a tecla da economia e consumo consciente, este discurso, nesta época do ano, onde geralmente a agua é abundante... Demais até, causando problemas de alagamentos, enchentes, etc, é bastante preocupante.


Quais são os seus planos caso uma grande crise de agua surja daqui alguns meses? Acredita que a situação possa chegar a níveis extremos, com escassez e racionamento de energia, aumentando sensivelmente o preço de alimentos e até da própria agua? Compartilhe conosco !

Hoje 15/02 a dúzia do ovo comum bateu R$ 9,50 !!!!!!!!!!!


Translate

Publicidade