Manual Guia do Sobrevivente

Manual Guia do Sobrevivente
Sobrevivencialismo e Preparação

sábado, 6 de abril de 2013

Facas de sobrevivência com paracord.

Acho que todos que pesquisam sobrevivência já esbarraram em algum momento em lâminas e ferramentas com cordinhas ou paracord no cabo.
De fato, um ou dois metros de corda num momento de aperto pode fazer a diferença, mas a longo prazo o tiro pode sair pela culatra.



Depreciação é muito comum em cabos e cordas de qualquer tipo, fatores como umidade, luz solar, calor, frio, sangue, areia, terra e a mais simples sujeira nas mãos vai comprometer o conjunto.

Comum em algumas facas de sobrevivência, o conjunto promete um recurso extra e muitas das melhores laminas deste estilo vem com o paracord 550, um cabo cheio de recursos e que tem sua resistência já medida em diversos canais, sabe-se exatamente quantos quilos de energia cada um dos 7 fios suporta antes de se romper e o conjunto todo tem sua resistência participando do nome, 550 libras.



Acontece que o usuário, ainda mais em uma situação de uso real, não vai se preocupar em higienizar as mãos antes de segurar a faca, ou melhor, só para segurar a faca. O resultado é suor das mãos misturado com cristais de areia e terra que se embrenham entre a fibra do paracord e vão minando sua resistência. A própria afiação da faca é um veneno para este tipo de recurso, pedras de amolar, lixas e chairas trabalham usinando e desbastando o aço da lamina cujo cavaco restante da operação, por pura lógica, embora ínfimo é irregular e muito abrasivo.



  Isso sem imaginarmos um eventual processo de afiação em campo, com menos recursos que na sua oficina, de certo não estará preocupado para onde vão os cavacos.




O acido de um simples limão, ou da casca de uma laranja, que é sabido só atuar como corrosivo na própria lamina, atua diretamente no pigmento de diversas fibras naturais ou não.
E quando vai ser mesmo que estaremos em uma situação de sobrevivência? Sei lá, por isso sempre carrego a faca.



E é este uso diário, simples e corriqueiro que vai comprometer seriamente o cordame muitas vezes usado como cabo, logo, escolher uma corda cheia de recursos como o paracord, justamente por todo o mapeamento de suas potencialidades e capacidades e deixa-lo lá para ser comprometido não parece ser muito inteligente.



Hahh Sr Cabeça de Batata, é só tomar cuidado amigo... Cara, tomar cuidado com faca de sobrevivência? Mesmo eu que não sou fã de meter paulada em faca acho isso meio... estranho. Enfim, conheço pessoas que não abrem mão deste recurso, e eu mesmo tenho alguns fios encerados e cordames em alguns itens, mas este benefício requer no mínimo atenção.



Desenrole e teste sempre como anda o estado geral das cordas, fios e cordames, em caso de dúvida troque por um novo pedaço, o que não dá é pra usar um cabo de paracord por meses e achar que ele vai fazer seu trabalho perfeitamente depois de surrado.

Infelizmente, nossos braceletes de sobrevivência também sofrem como qualquer corda ou cordame, e vale muito a pena, vez ou outra desmanchar e ver se tudo está Ok. Melhor trançar e destrançar de vez em quando do que ver a super cordinha se desmanchando na hora que você mais precisa.

Segue um video que falo sobre cordas, tipos e funcionalidades:



Abraços galera.

Translate