Manual Guia do Sobrevivente

Manual Guia do Sobrevivente
Sobrevivencialismo e Preparação

domingo, 13 de novembro de 2011

Minha escolha canina.

 Ele é a vanguarda, é ele que dá o primeiro combate, é o mais exposto e o que se arrisca mais, sua fidelidade é incondicional, seu amor também, senhor absoluto do front atrás das muralhas e nosso defensor: O Boxer.
Nesta raça, a harmonia das formas não está separada de múltiplos dotes de inteligência e caráter. Um lindo cão de trabalho e exposição, o Boxer tornou-se muito popular nas últimas décadas, em grande parte por seu notável valor, tanto em tarefas de defesa, como de proteção.




De origem alemã, o Boxer é um cão de tamanho médio e pelo raso e robusto. De estrutura curta, quadrada e ossos fortes, o Boxer movimenta-se com vivacidade, força e nobreza. Sua pelagem é curta, reluzente, muito aderente, amarela ou tigrada. Seus olhos são castanhos, e as orelhas implantadas altas, amputadas em ponta, discretamente longas.
O caráter do Boxer é um fator muito importante. O cão deve ser fiel ao dono e a à casa inteira, vigilante, sempre alerta e desconfiado com estranhos.

Em família é inofensivo, tem temperamento sereno e afetuoso durante as brincadeiras.

É de adestramento fácil, e é muito leal, sem falsidade ou malícia, nem sequer na idade avançada.

Os machos medem de 57 a 63 cm., na altura da cernelha, e as fêmeas, de 53 a 59 cm. O peso deve estar de acordo com a altura do cão, ficando, em média, de 28 kg. a 30 kg.
fonte www.guiaderaças.com.br

EM AÇÃO

"O ataque do Boxer não deixa nada a desejar ao de outras raças", avalia o adestrador Rangel. Ele explica: seu ataque é rápido, com excelente mobilidade, sendo a velocidade e resistência superiores a algumas raças de guarda mais pesadas; é determinado e decidido para a luta; o dinamismo se alia à silhueta menor que a de outras raças de guarda e o tornam um alvo difícil pouco alvejável; atua bem no escuro devido à audição e faro; a formação dentária extremamente bem projetada e desenvolvida e mais a musculatura firme da mandíbula lhe dão uma mordida muito poderosa. "O Boxer é mais veloz compensando a maior velocidade de arranque do Rottweiler com uma maior resistência para manter o ritmo em um confronto; supera o maior peso do Rottweiler com um ímpeto de ataque maior devido à sua maior decisão e rapidez, e sobrepuja a maior agilidade do Dobermann com um ataque mais impetuoso por ter uma vitalidade maior", compara Rangel.

Facilmente adestrável e controlável pelo condutor, o Boxer também costuma responder aos comandos sem resistir, ao contrário das raças mais dominantes. Rangel, em seus testes com os 19 Boxers - tinham idades entre seis meses e 3 anos - concluiu que eles retiveram muito bem o aprendizado quando adestrados. "Treinei-os e depois os entreguei a famílias que os trataram como cães de estimação. Passados seis a oito meses, submeti-os a provas de ataque e eles responderam perfeitamente", conta. Mais que controlável, o Boxer tem autocontrole, qualidade importante para evitar acidentes.
O conjunto de suas características o tornam interessante para a guarda profissional", considera Rangel. Na Pires, cada cão trabalha em dupla com um vigilante e só deve atuar quando agredido ou solicitado pelo condutor. "O Boxer age exatamente assim", explica Rangel, que tornou-se entusiasta da raça e pensa em adotá-la na empresa. "Só não o fiz até agora por me faltar o tempo exigido para uma implantação dessas", justifica. "O potencial do Boxer permite que seja bem mais aproveitado profissionalmente do que é."
Meu vira-latão tem linhagem, não é premiado nem nada, mas quis garantir a raça por questões de comportamento etc.
Entrou no lugar de um pastor alemão.
Tive um vivencia longa com cães, nunca me surpreendi tanto, o tato e o cuidado com meu pequeno são impressionantes, é um instinto de proteção tamanho que se torna quase chato, certo que hoje eles já dividem a mamadeira e o cão já virou montaria.



Foi muito fácil de adestrar, bastando poucas aulas, late pouco e é extremamente vigilante.

É grudento e pegajoso mesmo antes do treinamento, preferindo ficar perto mesmo com pastos e espaço aberto a disposição.
Na caça persegue e morde sem dó, tende se atracar com violência.


Atacando tende a pular e morder o rosto, o que tornou o treino para ataque arriscado exigindo equipamentos especializados e um bom $$ da minha parte, busca o pescoço e não larga sem comando, mesmo a vitima deitada inerte ( característica da raça).
É um cadelo muito forte e ativo, com 4 anos, pai de 16 filhos, brinca como um filhote!!!

Boxer é a minha raça, logo posto o video galera!


Translate